FANDOM


Metroid: Other M
Metroidothermjap
Box art japonesa
Desenvolvedor(es) Project M (Team Ninja, Nintendo's R&D1, D-Rockets)
Publicadora(s) Nintendo
Designer(s) Yoshio Sakamoto (diretor, escritor, produtor)[1]
Takehiko Hosokawa (diretor)[1]
Yosuke Hayashi (produtor)[1]
Data de Lançamento Flag of the United States/Flag of Canada 31 de Agosto de 2010 (originalmente 27 de junho de 2010)
Flag of Japan 2 de Setembro de 2010
Australia 2 de Setembro de 2010
European flag 3 de Setembro de 2010
Gênero(s) Ação-Aventura em Primeira/Terceira pessoa
Avaliação(ões) ESRB: T (Teen)
OFLC: M
CERO: B
USK: 12
PEGI: 16+
Plataforma(s) Wii
Mídia Wii Optical Disc (Dual-layered)
Input Wii Remote

Metroid: Other M (メトロイド アザーエム Metoroido Azā Emu) é o décimo jogo da série Metroid, anunciado pela Nintendo na E3 2009. O jogo é uma produção da Nintendo em conjunto com a Team Ninja, famosa pela série Ninja Gaiden. O jogo é a sequência direta de Super Metroid e antecedente direto de Metroid Fusion, e foca mais no personagem de Samus do que qualquer outro jogo da série. Other M é jogado com o Wii Remote na horizontal, similar ao controle do NES/Famicon, enquanto que apontar o controle para a tela troca para a visão em primeira pessoa, similar à série Prime.

EnredoEditar

O jogo começa após os acontecimentos de Super Metroid, com Samus Aran sonhando com seu último combate contra Mother Brain em Zebes, onde foi salva pelo Baby Metroid, o último Metroid sobrevivente de SR388. Samus acorda no quartel general da Federação Galáctica em sua Zero Suit. Samus, então, segue para outra sala como intruído pelo Head Quarantine Officer, para iniciar uma sequência de treinamento (tutorial). Após o treinamento, Samus reporta ao conselho da Federação sobre a destruição do planeta Zebes, e o fim do último Metroid. Passam-se algumas semanas, e enquanto refletia sobre a perda do bebê Metroid, Samus capta um pedido de socorro, entitulado de Baby's Cry, vindo da Bottle Ship. Samus então resolve atender ao chamado, principalmente pelo fato de sentir que o "choro" era especificamente para chamá-la.

RecepçãoEditar

O jogo recebeu muitas críticas negativas em relação às longas e obrigatórias cutscenes (apesar de ser possível pulá-las após terminar o game uma vez e começar um novo jogo), péssima qualidade de enredo, a subta contradição da reação de Samus ao encontro de Ridley quando comparada a todos os outros games da série, e diálogos desnecessariamente melodramáticos.

Uma crítica em particular é voltada à cena da luta contra Ridley. Samus recebeu um Transtorno de Estresse Pós-Traumático ao ver Ridley novamente na Bottle Ship. Isso é estranho devido ao fato de, estando o jogo localizado próximo ao final da linha cronológica da série, sendo o penúltimo da série, Samus já teria se deparado com Ridley pelo menos 7 vezes após a morte de seus pais, sendo que houve um confronto letal entre os dois em 5 delas, e Ridley teria sido comprovadamente morto em pelo menos 3 delas, sem contar com sua versão robótica de Zero Mission. Essa cena é inconsistente com o que foi estabelecido em jogos anteriores, onde Samus possui total controle de sua Power Suit e emoções.

Outros ainda acham estranho o fato de Adam não autorizar o uso de Power-Ups defensivos, como a Varia Suit ou Gravity Suit, assim como equipamentos que melhoram a mobilidade da caçadora, como Grapple Beam e Space Jump, sendo que estes não apresentam nenhum risco aos prováveis sobreviventes e aos soldados que estão dentro da nave.

Mesmo assim, a maior crítica de todas é voltada ao personagem dado a Samus, sendo completamente diferente da imagem que os fãs da série tinham sobre ela (e até mesmo do que já havia sido previamente estabelecido). Jogadores ficaram chocados ao descobrir que a Samus deste jogo não era a mesma caçadora corajosa e independente que foi mostrada em outros jogos; apresentava pouca auto-confiança e muita dúvida sobre seu personagem e seus objetivos; e ainda seguia as ordens de Adam fervorosamente (algo que nenhum caçador de recompensas, muito menos Samus Aran, que estabeleceu em Fusion que odeia receber ordens, faria), muitas vezes se colocando em perigo desnecessariamente só para cumprir suas ordens. Sua dubladora americana, Jessica Martin, foi criticada pela falta de emoção e monotonia nos diálogos. Entretanto, há rumores de que foi o próprio Yoshio Sakamoto que a instruiu para interpretar deste jeito.

O jogo também foi acusado de ser "machista", feito para agradar especificamente o público japonês, estereotipando Samus como a mulher ideal: tímida, fraca, atraente e submissiva. Alguns ângulos em que a cãmera captura Samus foram acusados serem vistos de um "olhar masculino", mostrando partes do corpo da caçadora desnecessariamente. As proporções do corpo de Samus ficaram muito grandes (principalmente os quadris, de forma a deixá-la desproporcional). Essas acusações foram apoiadas pelo fato de que todas as mulheres do jogo utilizam salto alto sem razão aparente. Maternidade é um tema recorrente no jogo, mas há reclamações de que esse tema aparce demais, notavelmente nas referencias que Samus faz ao Baby Metroid, e também em como todas as personagens femininas apresentam um complexo de maternidade.

TriviaEditar

  • Other M apresenta uma série imensa de furos de roteiro, alguns inclusive que tronariam o enredo do próprio jogo impossível de acontecer. Alguns deles são:
  1. Samus utiliza a palavra "Baby" para se referir ao Metroid, dando a entender que havia uma relação de maternidade com a criatura. Entretanto, Samus nunca esboçou qualquer sentimento pela criatura em nenhum dos jogos em que ele foi mencionado (em Metroid II: Return of Samus, Samus aparenta sentir pena da larva que acabara de nascer, sendo a última de sua espécie; em Super Metroid, Samus não hesita em entregar o Baby para os cientistas da estação de pesquisa; e em Fusion, Samus utiliza a palavra "hatchling", um termo em inglês sem tradução direta para o português, mas que significa "algo que acaba de sair do ovo", para se referir ao Metroid).
  2. Samus se coloca voluntariamente à disposição de Adam, disposta a cumprir suas ordens. Entretanto, em Fusion, Samus menciona que odeia receber ordens.
  3. Em Other M, Samus diz que Adam não era um homem que fazia brincadeiras ou piadas. Pouco depois, ela diz que Adam a chamava de "Lady" como uma forma de brincadeira.
  4. Isso ainda contradiz Metroid Fusion, onde Samus diz o que termo "Lady" era utilizado como uma forma de Adam confirmar a tal confiança mútua tão mencionada. Ao final do jogo, temos uma amostra de como isso realmente acontecia, ao contrário do que é mostrado em Other M.
  5. Other M ignora completamente o fato de que os Chozo foram os pais adotivos de Samus (e conseqüentemente, quem ela veria como figura paterna), e os substituem por Adam. Na verdade, Other M sequer menciona a existência da raça que deu a Samus sua Power Suit, negando completamente sua existência.
  6. Samus descreve sua relação com Adam como sendo de mútua confiança, e que este seria um exímio comandante. Entretanto, o que é mostrado em Other M contradiz tudo isso: as ações que Adam toma são completamente questinoáveis, e a mútua confiança é completamente descartada, dando lugar a uma hostilidade e indiferença em relação a Samus.
  7. A confiança mútua ainda é mais uma vez descartada quando Adam restringe o arsenal de Samus, dando a entender que ele não confia que a caçadora, com várias missões cumpridas ao longo dos anos, e com mais experiência em exploração de ambientes hostis do que qualquer pessoa no universo, possa controlar o poder de fogo que possui.
  8. Adam ainda deixa Samus no escuro boa parte do jogo, sendo que ele tem uma boa noção do que está acontecendo na BOTTLE Ship, mas decide não informar a Samus ou ao jogador sobre nada.
  9. O jogo ignora completamente Metroid Prime 3: Corruption quando Samus afirma que esta é a primeira missão oficial da Federação em que esteve desde que se tornou uma caçadora de recompensas, apagando todos os eventos ocorridos em Norion, Bryyo, Elysia e Space Pirates Homeworld.
  10. Em Other M, os Space Pirates são chamados de "Zebesians". Apesar de exclui Corruption da história (onde foi mostrado o planeta natal da espécie), nos manuais de instrução de Super Metroid e Metroid Fusion eles tem o nome de Zebesian Space Pirates, mostrando que a própria criadora da série os chamam assim.
  11. O "pequeno pássaro" consegue quebrar a lei da conservação de massa. Durante a batalha no Sector 1, Samus descobre que o lagarto que atacou o grupo na verdade é uma forma evoluída diretamente da pequena criatura ao encontrar a carapaça abandonada. Isso seria impossível, já que a criatura branca representa apenas uma pequena porcentagem do tamanho da criatura evoluída.
  12. Samus é derubada por um tiro de uma arma básica da Federação (Freeze Gun).
  13. Aparentemente, Other M apresenta uma nova norma em relação à Power Suit: pelo que foi mostrado até agora, a armadura se materializa ao redor de Samus com algum tipo de comando, podendo ser até mesmo um comando mental. Em Other M, a Power Suit parece ser alimentada pela força de vontade do usuário, o que torna o enredo de Other M e Fusion impossíveis, já que em ambos os casos, Samus estava inconsciente quando a Federação extraiu o DNA das criaturas na armadura, sendo impossível que esta fosse mantida ativa enquando Samus permanecia desmaiada.
  14. O enredo de Other M coloca em cheque Metroid Fusion: Samus já sabia sobre a corrupção na GF, e esta quer a cabeça da caçadora, então por que elas voltariam a trabalhar juntas? Além disso, a GF já havia perdido uma estação inteira de pesquisas com os eventos de Other, e eles tentam novamente em Fusion.
  15. Segundo Adam, os Metroids do Sector 0 são invulneráveis ao frio. Isso significa que sua única fraqueza foi removida. Em Fusion, que passa após os eventos de Other M, o Omega Metroid, que é naturalmente invulnerável ao frio, apresenta essa fraqueza, mostrando como o processo de clonagem da Federação não é perfeito.
  16. Mais uma vez a relação de confiança mútua entre Adam e Samus é colocada em cheque. Adam atira em Samus pelas costas, deixando-a vulnerável ao Metroid (que Adam não sabia se poderia congelá-lo) por 20 segundos e a um assassino cujo paradeiro é desconhecido. Ao ser questionado po suas ações, Adam diz que atirou em Samus porque “Os metroids do Setor 0 muito possivelmente não podem ser congelados”.
  • As evoluções de Ridley seguem o caminho inverso da evolução como a conhecemos: o primeiro estágio é uma forma que aparenta ser um tipo de ave ou mamífero (aparentemente mamífero, devido à pelagem, mas MB o chama de "pequeno pássaro"); sua segunda forma é um híbrido de ave ou mamífero com réptil, e sua última forma é um réptil completo. Seguindo essa linha de raciocínio, é possível que, caso Ridley evoluísse ainda mais, se tornaria um anfíbio, e posteriormente, um tipo de peixe (ou outra criatura completamente dependente de água).
  • O Sector 0 possui um mecanismo de auto-destruição que só pode ser ativado por dentro deste mesmo setor. Para um universo onde é possível realizar processos perfeitos de clonagem em tão pouco tempo, um mecanismo de auto-destruição que precise ser ativado por dentro dessa mesma área que se desja destruir é um grave erro de enredo (e de estrutura).


ReferênciasEditar

  1. 1,0 1,1 1,2 Nintendo, Team Ninja, D-Rockets. Metroid: Other M (em japonês). (Nintendo). Wii. Scene: staff credits. (September 2, 2010)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória